O SER TERAPEUTA E O ACOLHIMENTO FILOSÓFICO

Por Fernando Fontoura O Ser Terapeuta em filosofia clínica está apoiado em três vertentes filosóficas, quais sejam, a fenomenologia, a hermenêutica da compreensão e a analítica da linguagem. Estas linhas ou teorias filosóficas vemos com mais amplitude na formação em filosofia clínica, mas aqui posso dar um pequeno resumo da importância delas na formação doContinuar lendo “O SER TERAPEUTA E O ACOLHIMENTO FILOSÓFICO”

Filosofia Clínica: anotações e reflexões de um consultório (Resenha)

Por Fernando Fontoura O livro Filosofia Clínica: anotações e reflexões de um consultório, de Hélio Strassburger, traz a perspectiva da prática da filosofia clínica. Ao mesmo tempo em que expõe a própria metodologia, mas uma metodologia originária, daquela filosofia clínica sistematizada nos meados de 1990, ele nos mostra através de sua experiência de quase trintaContinuar lendo “Filosofia Clínica: anotações e reflexões de um consultório (Resenha)”

Uma perspectiva prática da recíproca

Paula Zabatiero A metodologia da Filosofia Clínica contempla elementos que constituem a estrutura de pensamento e os modos de agir de cada pessoa. Alguns elementos, como a inversão e a recíproca, podem estar tanto na espacialidade intelectiva quanto nas ações do indivíduo. Simplificadamente, inversão é o movimento de trazer o outro ao seu próprio mundo,Continuar lendo Uma perspectiva prática da recíproca

Onde se esconde o que aparece?

Por Hélio Strassburger A ideia de uma região inconsciente como algo inacessível por inteiro, e com a qual se trava algum contato por atos falhos, lapsos, e outros mecanismos, ainda encontra seus adeptos. Talvez porque, até então, não se tivesse outros recursos metodológicos a atividade clínica.Uma das críticas a essa forma de pensar, é aContinuar lendo “Onde se esconde o que aparece?”

A escuta compreensiva na clínica filosófica

Por Paulo Alves Filho Ao iniciar essa análise faço um convite a você, caro leitor. Partirmos da noção de singularidade como pressuposto para que possamos, juntos, seguir no progresso deste estudo. De maneira breve a singularidade, na Filosofia Clínica, é um conjunto de fenômenos que compõem o partilhante e sua medida de relação e interseçãoContinuar lendo “A escuta compreensiva na clínica filosófica”

FENOMENOLOGIA NA FILOSOFIA CLÍNICA

Por Fernando Fontoura (texto originalmente escrito para a REvista da Casa da Filosofia Clínica em https://casadafilosofiaclinica.blogspot.com/2022/03/revista-casa-da-filosofia-clinica-ed00.html ) Algumas perspectivas psicológicas se denominam ou têm no nome a palavra fenomenologia ou fenomenológica. No vídeo sobre psicologia fenomenológica com prof. Tommy Goto (https://www.youtube.com/watch?v=_RR9dHtF3e4&t=196s ) assumindo que a psicologia fenomenológica tem Edmund Husserl como fundamento da fenomenologia, pergunta-seContinuar lendo “FENOMENOLOGIA NA FILOSOFIA CLÍNICA”

Uma proposta de emancipação

Por Miguel Angelo Caruzo (texto originalmente escrito para a Revista da Casa da Filosofia Clínica, edição 00 em https://casadafilosofiaclinica.blogspot.com/search/label/Revista%20Casa%20da%20Filosofia%20Cl%C3%ADnica ) Em sua recente obra, Hélio Strassburger (2021, p. 26) relata que “a possibilidadede emancipação de pessoas, para além da camisa de força da classificaçãotipológica” chamou sua atenção na proposta da filosofia clínica uma vezque “elaContinuar lendo “Uma proposta de emancipação”

Um olhar para a singularidade

Por Dioneia Gaiardo Pensar a singularidade é um exercício de ver que “A vida insinua-se de um jeito único na subjetividade de cada pessoa, lugar privilegiado para decifrar os enigmas da natureza (…)”, os enigmas de sua própria natureza, da natureza das coisas e do mundo. Aí, no fenômeno da singularidade, há espaço para oContinuar lendo “Um olhar para a singularidade”

Estrutura de Pensamento em Filosofia Clínica

Por Fernando Fontoura Dentro da metodologia terapêutica da Filosofia Clínica está o eixo chamado Estrutura de Pensamento. Mas o que é isso e qual seu papel na terapêutica? A Filosofia Clínica parte de um pressuposto de que tudo ou tem sua fonte no pensamento ou acaba voltando a ele em algum momento. Na primeira –Continuar lendo “Estrutura de Pensamento em Filosofia Clínica”

PRÁTICA DA FILOSOFIA CLÍNICA

Por Fernando Fontoura “Nesse sentido, a nova abordagem possui uma representação diferenciada do fenômeno humano; as pessoas passam a ter nome, sobrenome, uma história de vida singular, linguagem própria, expressividade peculiar, estabelecendo um abismo com as lógicas da tipologia, da classificação desumana dos manuais psiquiátricos, os quais, ao oferecer diagnósticos, prognósticos, curas, normalidades, destituem aContinuar lendo “PRÁTICA DA FILOSOFIA CLÍNICA”